Notícias

11h00

Encontro Baiano de Educação Museal (Ebem), de 20 a 22 de março

Compartilhe
Tamanho da Fonte
Encontro Baiano de Educação Museal (Ebem), de 20 a 22 de março

A Rede de Educadores em Museus da Bahia (REM-BA), com apoio do Museu Carlos Costa Pinto, do Núcleo de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Universidade Federal das Bahia (Noap/UFBA), da Fundação Gregório de Mattos (FGM), do Museu da Misericórdia e da Tecnomuseu, realizará o Encontro Baiano de Educação Museal (Ebem) entre os dias 20 e 22 de março de 2019, no auditório Antônio Carlos Magalhães do Museu Carlos Costa Pinto, em Salvador-BA, cujo tema será Museus em chamas: verso e reverso de como chegamos até aqui, provocando discussões a partir do atual momento do campo museológico brasileiro.

O Ebem é um encontro inédito, elaborado como contrapartida à contemplação da museóloga Mona Nascimento, membro do Comitê Gestor da REM-BA, no edital de mobilidade artística do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). O Encontro tem o objetivo de reunir os agentes culturais envolvidos com a discussão da Educação Museal, com vistas ao aprofundamento da conjuntura atual, marcada pelo estabelecimento da Política Nacional de Educação Museal (PNEM), mas também pelas Medidas Provisórias n. 850 e 851, que autorizariam o Poder Executivo federal a instituir a Agência Brasileira de Museus (Abram) e a administração pública a firmar instrumentos de parceria e termos de execução de programas, projetos e demais finalidades de interesse público com organizações gestoras de fundos patrimoniais, ferindo de morte o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), autarquia responsável por coordenar a PNEM. 

No Ebem será feita a socialização das produções acadêmico-científicas, relatos de experiências educacionais e afins, no campo do ensino, da pesquisa e da extensão. O público-alvo é composto por profissionais da área (museólogos, historiadores, conservadores, arquivistas, pedagogos, biólogos, artistas, arquitetos, antropólogos, entre outros), somados aos agentes culturais responsáveis por políticas culturais (conselheiros, diretores, secretários) e por aqueles que entendem e se interessam pelo campo museológico e educacional. 

O Ebem vem com uma programação digna de nota. Para a conferência de abertura, dia 20, teremos a participação da educadora Fernanda Santana Rabello de Castro, atualmente um dos mais destacados nomes no campo da Educação Museal brasileira. A professora Fernanda é licenciada em História (2005) e doutora em Educação (2018). É educadora no Museu da Chácara do Céu e no Museu Histórico Nacional/Ibram, e coordena a linha de pesquisa “Educação museal: conceitos, história e políticas” do MHN/CNPq. Integra o Comitê Gestor da REM-RJ (2014-2019) e integrou a Equipe da PNEM (2012-2018). 

Nas manhãs dos dias 21 e 22 serão realizadas as sessões de comunicação, onde os trabalhos submetidos e aprovados pela comissão de avaliação serão apresentados ao público participante. Vale salientar que a comissão foi formada por especialistas em Educação Museal nacionalmente reconhecidos. Além de Fernanda Castro, compôs a comissão Átila Tolentino e Marielle Gonçalves. Átila é graduado em Letras e especialista em Gestão de Políticas Públicas de Cultura pela Universidade de Brasília (UNB) e é mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba. É da carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ministério da Economia, atuando na área do patrimônio cultural e museus no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Integra a Rede de Educadores em Museus da Paraíba (REM-PB). Já Marielle é licenciada em Artes Plásticas e Letras pela UNB, Técnica em Assuntos Educacionais no Ibram, está Chefe da Divisão de Educação da Coordenação de Educação e Museologia Social (Comuse/Departamento de Processos Museais – DPMUS/Ibram).

A tarde do dia 21 será a vez do Tecendo Redes (Encontro de Redes de Educadores em Museus), que contará com a participação da Rede de Museus da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), da REM-RJ, REM-SP, a Rede de Memoriais de Terreiros de Candomblé, além da REM-BA e seus núcleos regionais. A ideia do Tecendo é estimular a construção de novos núcleos da REM-BA e fortalecer os já existentes, numa espécie de teia favorecedora dos processos educacionais em museus. Nesse mesmo turno haverá uma visita mediada ao Museu Carlos Costa Pinto, realizada pela instituição anfitriã.

O turno vespertino do dia 22 a programação prevê o REM Debates, mesa-redonda que discutirá o tema do Ebem, com a participação de Marielle Gonçalves e Rejâne Lira. A professora Rejâne é bacharel em Ciências Biológicas pela UFBA (1990), com aperfeiçoamento no Natural History Museum, Inglaterra (1991), no Muséum d’Historie Naturalle, França (2015) e University of Adelaide, Austrália (2016); possui especialização em Venenos Animais pelo Instituto Butantan (1991); mestrado em Saúde Coletiva pela UFBA (1996); doutorado em Ciências Médicas pela Universidade Estadual de Campinas (2001); pós-doutorado no Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, Portugal (2007-2008 e 2015); pós-doutorado na The University of Melbourne, Austrália (2015-2016). É professora titular da UFBA, coordenadora do Noap e curadora da Coleção Herpetológica do Museu de História Natural da Bahia (MHNBA/UFBA), entre outras atividades científicas.

Após o REM Debates teremos a conferência de encerramento do Ebem, com a professora decana Maria Célia Santos, uma das mais respeitadas profissionais de Educação Museal do país, protagonista de inúmeras conquistas, como a PNEM. A prof.ª Maria Célia é aposentada da UFBA (curso de Museologia), possui graduação em Museologia (1973), mestrado (1981) e doutorado (1995) em Educação, todos pela UFBA. É consultora nas áreas da Museologia, da Educação e da Gestão e Organização de Museus e prof.ª da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Integra o Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Ibram e foi conselheira do Conselho Internacional de Museus (Icom-BR) e coordenadora do Eixo 3 da Política Nacional de Museus do Ministério da Cultura. Foi diretora de museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, entre outras atividades e produções.

A conferência com a prof.ª Maria Célia será seguida por uma plenária final, momento em que será elaborado um documento final do Encontro, de teor público e elaborado colaborativamente, com a finalidade de balizar as políticas setoriais de museus, sobretudo no que diz respeito à Educação Museal brasileira e baiana. 

O quê: Encontro Baiano de Educação Museal (Ebem).
Quando: 20 (a partir das 17h) a 22 de março (a partir das 9h) de 2019.
Onde: Auditório Antônio Carlos Magalhães do Museu Carlos Costa Pinto
Quanto: Gratuito.
 

Deixe seu comentário
Apoio Financeiro:
Museu da Misericórdia
2016 - 2019. Museu da Misericórdia. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital