Notícias

17h00

Museu da Misericórdia ganha exposição única com obras de Genaro de Carvalho

Mostra do artista baiano integra programação comemorativa aos 470 anos da Santa Casa da Bahia

Compartilhe
Tamanho da Fonte
Museu da Misericórdia ganha exposição única com obras de Genaro de Carvalho

A Santa Casa da Bahia promove para convidados a abertura da exposição Genaro – Traço, Pincel e Trama, na próxima quinta-feira, 26 de setembro, no Museu da Misericórdia, a partir das 18h30. Aberta ao grande público de 27 de setembro a 24 de novembro, a mostra reúne 59 obras do artista plástico baiano Genaro de Carvalho (1926-1971), reconhecido pelo uso de cores fortes e contrastantes e considerado o introdutor da tapeçaria artística no Brasil. As obras da exposição pertencem a coleções particulares de Irmãos da Santa Casa e serão expostas em conjunto pela primeira vez. A exposição revela as diferentes fases do artista e integra o calendário comemorativo ao aniversário de 470 anos da Santa Casa da Bahia. A curadoria é de Simone Trindade.

Quem visitar a exposição vai viver a experiência de apreciar o desenvolvimento de Genaro de Carvalho ao longo dos anos. O artista iniciou a carreira aos 17 anos e integrou a primeira geração de modernistas da Bahia, ao lado de Carlos Bastos e Mário Cravo Jr. Entre as obras em cartaz, estão pinturas, desenhos e tapeçarias que retratam os temas recorrentes do artista, como a fauna e a flora nacionais, além de marinhas, casarios e as mulheres brasileiras. Marcadas pelo caráter decorativo que acompanhou Genaro de Carvalho em toda a sua trajetória, as peças revelam os referenciais regionais do artista que mostram as expressões do colorido baiano.

O Provedor da Santa Casa da Bahia, Roberto Sá Menezes, conta que nos últimos anos o Museu da Misericórdia incluiu no calendário de exposições temporárias a apresentação de obras de grandes artistas que construíram relação especial com a Bahia, como Pancetti e Carybé. “Agora comemoramos os 470 anos da instituição com Genaro que, tal como a Santa Casa, soube modernizar-se sem perder a tradição, afirma. Roberto Sá Menezes destaca que o artista quebrou paradigmas, mas soube conservar o refinamento nos seus traços e nos pontos e tramas de suas tapeçarias. “Nossos agradecimentos especiais são dedicados à artista plástica Nair de Carvalho, viúva de Genaro, cujo apoio e empenho foram fundamentais para a realização deste projeto”, afirma.

Para a curadora da exposição, Simone Trindade, é difícil definir Genaro, pois ele era um artista inquieto, sempre em busca da sua expressão. Embora reconhecido nacional e internacionalmente como um tapeceiro por excelência, o artista não se limitou. “Entre os maiores feitos, com certeza está a introdução da tapeçaria no Brasil e na exposição será possível ver algumas de suas composições nessa área. Mas além de tapeceiro, ele era pintor, desenhista e designer. A mostra é uma experiência única, pois dificilmente será possível ver as obras reunidas novamente dessa forma. A Santa Casa busca democratizar a arte, promovendo continuamente exposições voltadas a resgatar artistas de destaque da nossa história”, relata a curadora.

CLIQUE AQUI E ACESSE O CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO.

Sobre o artista

Genaro Antônio Dantas de Carvalho nasceu em Salvador no dia 10 de novembro de 1926. Ele iniciou sua carreira aos 17 anos, quando participou do I Salão de Arte Americana, na Associação Cultural Brasil - Estados Unidos, em 1944. Em seguida, foi para o Rio de Janeiro, onde estudou desenho com o professor Henrique Cavalleiro na Sociedade Brasileira de Belas Artes (SBBA). Ainda no Rio, realizou suas primeiras mostras individuais. Na Bahia, a oportunidade de expor pela primeira vez aconteceu em 1947, na Biblioteca Pública da Cidade do Salvador. Em 1949 viajou para Paris como bolsista francês, estudando na École Nationale de Beaux Arts e no Atelier de Pintura de André Lhote, que também foi mestre de Tarsila do Amaral e de Iberê Camargo. Em 1950 descobre a tapeçaria na Europa, chegando a realizar sua primeira tapeçaria mural, nomeada de Plantas Tropicais. De volta ao Brasil, participa da 1ª Bienal de São Paulo e, em 1955, cria o primeiro ateliê de tapeçaria do Brasil em Salvador, tornando-se assim o pioneiro da tapeçaria artística brasileira. Conhecido por ser um artista inquieto e múltiplo, ele se dedicou como desenhista, pintor, designer e tapeceiro até sua morte prematura aos 44 anos, ocorrida em 2 de julho de 1971.

 

13ª Primavera dos Museus

A exposição Genaro – Traço, Pincel e Trama marca a participação do Museu da Misericórdia na 13ª Primavera dos Museus, que acontece até 29 de setembro, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). No dia 27, às 10h acontecerá uma visita especial à mostra, mediada pela curadora Simone Trindade, aberta ao público.

Durante a Primavera dos Museus , a visita ao Museu da Misericórdia é gratuita. O Museu da Misericórdia funciona de terça a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, aos sábados, das 9h às 17h, e nos domingos e feriados, das 12h às 17h. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

 

Serviço

O que: exposição Genaro – Traço, Pincel e Trama

Quando: de 27 de setembro a 24 de novembro. 

Onde: Museu da Misericórdia – Rua da Misericórdia, 6, Centro Histórico.

Quanto: R$10 (inteira) e R$5 (meia)

Visitação gratuita durante a 13ª Primavera dos Museus – de 24 a 29 de setembro

Deixe seu comentário
Apoio Financeiro:
Museu da Misericórdia
2016 - 2019. Museu da Misericórdia. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital